coleprecor

Arquivos

Soluções dos Correios para tribunais são apresentadas ao Coleprecor

20171122_100943

O vice-presidente de Negócios Públicos dos Correios, José Furian Filho, participou da Reunião do Coleprecor, na manhã desta quarta-feira (22/11), apresentando as “Soluções Customizadas pelos Correios para os Tribunais Regionais do Trabalho”. Ele fez um panorama sobre função, objetivos e valores da área em que atua, comentou estatísticas gerais dos serviços oferecidos pelos Correios e como estes atendem aos objetivos estratégicos do Tribunal Superior do Trabalho (TST), para então, partir para os desafios dos TRTs.

Dentre os principais desafios na operação de logística integrada elencados pelo palestrante, estão o movimento de bens de valores, transparência e confiança, fiscalização, tecnologia da informação, facilidade de contração, controle do nível de serviços, capilaridade e pessoal especializado. Também mostrou situações de “antes e depois” dos almoxarifados regionais dos Correios na operacionalização da logística de suprimentos da Agenda Correio Log (logística de suprimento dos Correios, armazenagem e gestão de almoxarifado, gestão doc e mensageria).

José Furian mostrou dados das operações realizadas junto ao TRT3-MG em 10 anos de operação, numa área de 1.903m² e na gestão de 811 itens. Segundo o palestrante, foram preparados 30 mil itens por ano, transportados 462 mil quilos por ano e atendidas 343 seções em 67 cidades de Minas Gerais. Dados semelhantes foram registrados na atuação dos Correios junto ao Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul.

Outros pontos abordados foram consultoria especializada; gerenciamento supply chain; gestão de estoque, de transporte e de armazém; e soluções em gestão documental, com seu fluxo operacional e benefícios, e em mensageria. Finalizou tratando dos objetivos estratégicos do TST e da atuação dos Correios junto ao Coleprecor.

 

Texto e foto: Rosemary Araujo (ASCOM TRT16-MA).

 

 

Anúncios

Presidente do CSJT faz balanço de 2017 e destaca recomposição orçamentária

Ives Gandra Martins Filho anunciou também que, até o final de novembro, será feita descentralização de recursos para pagamento a servidores e magistrados de dívidas de exercícios anteriores

Na abertura da 8ª reunião ordinária do Colégio de do Colégio de Presidentes e Corregedores de TRTs (Coleprecor), iniciada nesta quarta-feira (22/11), o presidente do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT), ministro Ives Gandra Martins Filho, fez um balanço de 2017, destacando ações que resultaram em benefícios aos Tribunais Regionais do Trabalho.O ministro relembrou as negociações políticas e orçamentárias que foram empreendidas para garantir a recomposição do orçamento da Justiça do Trabalho, reduzido significativamente em 2016. Entre as conquistas, estão a edição de uma medida provisória para abrir ao orçamento da Justiça do Trabalho os créditos dos valores decorrentes de fontes próprias, a renegociação dos percentuais de rendimento sobre os depósitos recursais e a definição de uma exceção ao ajuste fiscal com repasse anual de 0,25% pelo Executivo à Justiça do Trabalho até 2020. “Graças a essas medidas, não houve corte em 2017 e pudemos funcionar com normalidade”, frisou o ministro.

Ele anunciou que o CSJT está elaborando uma proposta de projeto de lei para que os recolhimentos relativos às custas judiciais sejam revertidos à Justiça do Trabalho e para que haja maior facilidade de acesso aos montantes referentes aos depósitos recursais. Os TRTs podem fazer sugestões à Assessoria Parlamentar e à Coordenadoria de Orçamento e Finanças do CSJT até o fim do ano.

O ministro anunciou também que até o final de novembro será feita descentralização de recursos para pagamento a servidores e magistrados de dívidas de exercícios anteriores. “Com esse pagamento quitamos grande parte das verbas devidas, impedindo eventual crescimento da dívida decorrentes de juros e correção monetária”, afirmou o presidente do CSJT, assinalando que não serão pagas verbas que ainda dependem de decisão final da Justiça.

Os recursos serão descentralizados para pagamento a partir de dezembro, não podendo haver outra destinação por parte dos Tribunais, que deverão seguir os critérios estabelecidos em resoluções do CSJT.

PJe
O ministro também destacou a posição de vanguarda da Justiça do Trabalho no desenvolvimento do sistema de Processo Judicial Eletrônico. Isso porque o Judiciário Trabalhista é o único ramo 100% eletrônico e, a partir de 5 de dezembro, passará a utilizar a versão 2.0 da ferramenta, marcada pela facilidade de utilização.

A primeira Vara do Trabalho a adotar essa nova versão será a de Navegantes, em Santa Catarina, que também foi a primeira a instalar o sistema em 2011. “Exatamente seis anos depois, teremos a instalação na unidade que marcou o início do grande sistema que temos hoje”, assinalou o presidente do CSJT, que disse estar muito entusiasmado com a nova versão mais rápida e de maior usabilidade.

Parceria com TRTs
O presidente também destacou a atuação integrada do Conselho com os TRTs. “Gostaria de agradecer a cada um dos presidentes dos Regionais, que sempre se pautaram por uma gestão estratégica e responsável”, elogiou. O ministro citou algumas situações que foram solucionadas graças à parceria entre CSJT e TRTs, entre elas a retomada de obras nos TRTs da 18ª Região (Goiás), a negociação entre a Caixa Econômica Federal e o TRT da 5ª Região (Bahia), e as tratativas para desocupação de parte do TRT da 1ª Região (Rio de Janeiro).

Durante a abertura, foram assinados três convênios com TRTs relativos ao assinador eletrônico (2ª Região), módulo de precatórios (3ª Região) e alvará eletrônico (11ª). Os convênios são para agilizar e aprimorar o Processo Judicial eletrônico.

Fonte: Secom CSJT.

 

Iniciada a 8ª Reunião Ordinária do Coleprecor

1. abertura - IMG-20171122-WA0019

Na manhã desta quarta-feira (22/11), no Auditório dos Ministros, 1º andar do Tribunal Superior do Trabalho (TST), em Brasília-DF, o Colégio de Presidentes e Corregedores dos Tribunais Regionais do Trabalho (Coleprecor) deu início à sua 8ª e última Reunião Ordinária de 2017. A reunião foi aberta pelo desembargador James Magno Araújo Farias, presidente do Coleprecor e do TRT16-MA, tendo ao seu lado o presidente do TST e do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT), ministro Ives Gandra da Silva Martins Filho, e também as desembargadoras Maria de Lourdes Leiria (corregedora regional do TRT12-SC) e Maria Beatriz Theodoro Gomes (presidente e corregedora regional do TRT23-MT), respectivamente, vice-presidente e a secretária-geral do Coleprecor.

O presidente James Magno deu as boas-vindas aos presidentes e corregedores eleitos e/ou empossados recentemente nos TRTs de Minas Gerais (3ª Região – desembargadores Marcus Moura Ferreira, presidente; e Rogério Valle Ferreira, corregedor),  do Rio Grande do Sul (4ª Região – desembargadores Vania Cunha Mattos, presidente ; e Marçal Henri figueiredo, corregedor), da Bahia (5ª Região – desembargadoras Maria de Lourdes Linhares Lima de Oliveira, presidente; e Dalila Nascimento Andrade, corregedora), do Paraná (9ª Região – desembargadores Marlene Teresinha Fuverki Suguimatsu, presidente; e Sérgio Murilo Rodrigues Lemos, corregedor), de Santa Catarina (12ª Região – desembargadores Mari Eleda Migliorini, presidente; e José Ernesto Manzi, corregedor), do Maranhão (16ª Região – desembargador Américo Bedê Freire, corregedor), de Goiás (18ª Região – desembargador Platon Teixeira de Azevedo Filho, presidente, que assume também como conselheiro no CSJT, na vaga do recém-empossado ministro Breno Medeiros) e do Mato Grosso (23ª Região – desembargadora Eliney Bezerra Veloso, presidente). “Estas são mudanças são salutares  para a Justiça do Trabalho e tenho certeza que estes novos membros levarão a chama da Justiça e de um Coleprecor ainda mais atuante adiante”,  finalizou o magistrado.

Em seguida, o presidente do TST/CSJT fez seu pronunciamento, destacando as conquistas da Justiça do Trabalho ao longo de sua gestão. O ministro ainda tratou de temas orçamentários e das expectativas de ações a serem desenvolvidas pela Justiça do Trabalho para provimento de cargos em 2018.

Após o pronunciamento do ministro, o desembargador James Magno lembrou o aniversário de 30 anos do Colegiado, que se completam neste mês de novembro, e fez o lançamento oficial da Galeria de Coordenadores e Presidentes do Coleprecor ao longo de sua história, num breve resgate de parte da memória institucional. Em seguida, apresentou a Revista-relatório da Gestão em 2017, nas versões impressa e eletrônica.

A reunião prosseguiu durante a manhã e a tarde deste primeiro dia, e continuará  até amanhã (23/11), pela manhã.

Para acessar a pauta completa, clique aqui.

Texto: Rosemary Araujo (ASCOM TRT16-MA).

Foto: Nelson Ferraz (ASCOM TRT23-MT).

 

Presidente do TRT-MA faz pré-lançamento de livro do Coleprecor no Congresso Ibero-americano

1. ok livro IMG_9911

Durante a programação do Congresso Ibero-americano de Direitos Fundamentais, o desembargador James Magno Araújo Farias, presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região (TRT-MA) e do Colégio de Presidentes e Corregedores dos Tribunais Regionais do Trabalho do Brasil (Coleprecor), fez o pré-lançamento do livro

“Trabalho Decente”, na tarde da última sexta-feira (17/11). A segunda obra coletiva do Colegiado foi publicada pela LTr Editora com o apoio do Instituto Universitário do Rio de Janeiro e será lançada oficialmente amanhã (22/11), durante a 8ª Reunião Ordinária de 2017 do Coleprecor, no Tribunal Superior do Trabalho (TST), em Brasília-DF.
“Trabalho Decente” é um conceito adotado pela Organização das Nações Unidas (ONU) durante sua Conferência sobre o Desenvolvimento Social, realizada em 2005, na Dinamarca, e, em 2006, também foi adotado pelo Conselho Econômico e Social das Nações Unidas, responsável pela aplicação do Pacto Internacional dos Direitos Econômicos, Sociais e Culturais (PIDESC). Em 2008, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) declarou que deveria existir Justiça social para haver uma globalização justa e, em 2010, sua campanha mundial teve como tema “Trabalho Decente para Todos”. Tais iniciativas inspiraram a escolha do título da obra que sucede o exitoso e pioneiro “O Judiciário Trabalhista na Atualidade”, também publicado pela LTr, em 2015.

No pré-lançamento, o professor Simão Aznar, do Instituto Universitário, disse que a instituição tem por vocação investir em iniciativas de educação e que “pudemos acompanhar a luta do dr. James nesses tempos de ataques à Justiça do Trabalho. Quando surgiu a ideia do livro, ficamos muito felizes por, de alguma forma, participar dele”. Para a professora Carla Dolozel, “é um orgulho para o Instituto Universitário participar desta obra de tão grande importância acadêmica e institucional”.

O presidente James Magno disse que “esta é uma obra que nos enche de orgulho” e referiu-se aos resultados alcançados com a publicação, citando um trecho do prefácio da obra: “Os articulistas focaram seus estudos na análise dos complexos elementos laborativos, emitindo preciosas opiniões sobre as possibilidades de desenvolvimento de alternativas jurídicas, legais e sociais sobre o tema, sempre em busca de seu aperfeiçoamento e evolução. O resultado, longe de ser um diagnóstico melancólico, é um retrato sensível e lúcido do trabalho em sua percepção de dignidade, decência e valor”. Em seguida, o desembargador autografou alguns exemplares de “Trabalho Decente” no hall do Congresso, acompanhado pelos colaboradores da obra Bruno de Carvalho Motejunas (juiz titular da Vara do Trabalho de Bacabal) e Denise de Fátima G. F. Soares Farias (advogada).

O livro – “Trabalho Decente” tem como organizador o desembargador James Magno Araújo Farias, presidente do Coleprecor e do TRT16-MA, e como coordenadoras as desembargadoras Maria de Lourdes Leiria (corregedora regional do TRT12-SC) e Maria Beatriz Theodoro Gomes (presidente e corregedora regional do TRT23-MT), respectivamente, vice-presidente e secretária-geral do Coleprecor. Os artigos que o compõem foram produzidos pelos colaboradores Alexandre Teixeira de Freitas Bastos Cunha, Aloysio Corrêa da Veiga, Amanda Barbosa, Augusto César Leite de Carvalho, Bruno de Carvalho Motejunas, Cristina Grobério Pazó, Delaíde alves Miranda Arantes, Denise de Fátima G. F. Soares Farias, Fausto Siqueira Gaia, Flávia Moreira Guimarães Pessoa, Humberto Theodoro Júnior, James Magno Araújo Farias, Kátia Magalhães Arruda, Lélio Bentes Corrêa, Maria Beatriz Theodoro Gomes, Maria de Lourdes Leiria, Mariana Farias Santos, Océlio de Jesus Carneiro de Morais, Suzy Elizabeth Cavalcante Koury e Ubirajara Carlos Mendes.

Congresso – o Congresso Ibero-americano de Direitos Fundamentais foi realizado pelo TRT16-MA, por meio da Escola Judicial da 16ª Região, nos dias 16 e 17/11. Contou com o apoio do Colégio de Presidentes e Corregedores dos Tribunais Regionais do Trabalho do Brasil (COLEPRECOR), do Instituto Nacional de Estudos Jurídicos (INAJUS), da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Maranhão (OAB-MA) e da Caixa Econômica Federal. As inscrições dos participantes foram feitas de forma solidária, com a doação de 2kg de alimentos não perecíveis e um brinquedo, que serão destinados a duas instituições na ação de Natal do Tribunal, a Fundação Antonio Brunno e a Casa Sonho de Criança.

 

Fonte: TRT16-MA.

Veja mais fotos no Flickr do Coleprecor.

 

Metas estratégicas da JT para 2018 são debatidas no Coleprecor

notiíca METAS enviada pelo CSJT

O Comitê Gestor da Estratégia da Justiça do Trabalho e a Coordenadoria de Gestão Estratégica do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) participaram da 7ª Reunião Ordinária do Colégio de Presidentes e Corregedores dos Tribunais Regionais do Trabalho (Coleprecor), em Curitiba. A reunião foi realizada na sede do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 9ª região. O coordenador de Gestão Estratégica, Joaquim Otávio da Silva Júnior, representou o CSJT a fim de articular o debate das metas estratégicas para 2018 no âmbito do Coleprecor.

A discussão ocorreu no período da tarde do dia 25 de outubro. Um pouco antes, na manhã do mesmo dia, a equipe técnica de gestão estratégica se reuniu com todos os assessores de gestão estratégica dos TRTs para alinhamento e apresentação das propostas.

Os pontos centrais em discussão foram as mudanças propostas na reunião preparatória do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), realizada em setembro deste ano. A proposta consolidada será votada no XI Encontro Nacional do Poder Judiciário, nos dias 20 e 21 de novembro.

De acordo com Joaquim Otávio, o Coleprecor convidou a coordenadoria e o comitê para promover o debate das metas para 2018 e o alinhamento entre tribunais acerca da estratégia que será adotada para o ano que vem. “Enquanto Justiça do Trabalho (JT), nós promovemos essa discussão para que, no Encontro Nacional, as metas estejam alinhadas com os presidentes e corregedores dos TRTs”, afirma.

A principal alteração aconteceu no cálculo da meta específica do tempo médio de duração do processo no 2º Grau, que atualmente considera o tempo entre a autuação e a baixa do processo. “A proposta é que se considere da autuação até o julgamento do processo”, complementa Joaquim.

Ainda na ocasião, a Coordenadoria de Gestão Estratégica apresentou os resultados dos indicadores referentes ao período de janeiro a setembro de 2017. “Para subsidiar as discussões que seriam iniciadas, nós apresentamos os resultados de como está o desempenho do TRTs”, conclui o coordenador. Na reunião, também foi aprovada a não incidência de índices redutores para as metas de 2017.

 

Fonte: CSJT.

Veja mais fotos no Flickr do Coleprecor.

 

Assessores de Comunicação da Justiça do Trabalho falam das especificidades do setor com Diretores-Gerais, durante o Coleprecor

IMG-20171025-WA0050

Da esquerda para a direita: Fernando Pinheiro, Gabriel Reis, Samuel Almeida, Martha Gonzalez e Márcia Bueno.

Iniciativas inovadoras, projetos integrados e desafios da Justiça do Trabalho (JT) foram discutidos pelos assessores de Comunicação do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) e de quatro Tribunais Regionais do Trabalho (TRT) com os Diretores-Gerais (DG) dos Regionais. A reunião dos DGs ocorreu paralelamente à reunião do Colégio de Presidentes e Corregedores dos Tribunais Regionais do Trabalho (Coleprecor) que, no mês de outubro, foi realizada em Curitiba (PR).

Os assessores do TRT da 18ª Região (GO), Márcia Bueno, e do CSJT, Gabriel Reis, falaram sobre a importância da integração entre a Comunicação Social e a Administração Superior em momentos de crise. “O dano à imagem pode inclusive chegar à reputação, caso uma crise não seja bem gerenciada”, pontuou a Márcia. “A Comunicacao não é papel de um único setor, mas de todos na organização. Por isso a importância de que os DGs estejam mais próximos da realidade das Ascoms”, destacou Gabriel.

Márcia Bueno falou ainda do “Bom Dia TRT”, plataforma que começou a funcionar no Regional na quarta-feira, 25/10, para levar ao público interno informações de relevância e de maneira segmentada. “O Bom Dia TRT é uma solução para concentrar em um único meio todas as informações importantes para que magistrados e servidores desempenhem suas atividades e possibilita, ainda, a customização de acordo com o perfil do usuário”, afirmou Márcia.

O 1º Prêmio de Jornalismo Trabalho Seguro, do ano de 2015, foi apresentado por Fernando Pinheiro do TRT da 24ª Região (MS). O prêmio surgiu de uma reunião entre a Comunicação e gestores regionais. O resultado foi um sucesso no estado. Foram R$45 mil em prêmios, 102 trabalhos inscritos e 76 classificados em cinco categorias. “Com isso, tivemos 100 matérias produzidas e que falaram bem da Justiça do Trabalho”, explicou. O resultado superou as expectativas e os veículos de Comunicação entraram em contato com o TRT para saber quando será a segunda edição do prêmio. O resultado foi uma sociedade mais informada e jornalistas mais conscientes do funcionamento da JT.

O Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região (TRT/MG) trouxe um exemplo que mostrou como é possível fazer uma exposição que percorra todas as Varas do Trabalho com custo muito reduzido. A campanha “O mês do Trabalho” foi um grande evento com variada programação realizada em maio deste ano. Abarcou visita ao Centro de Memória, lançamento de livros, exibição de filmes e exposição dos 76 anos da JT. “Buscamos trazer uma campanha cultural e lúdica e que atingiu seu objetivo, uma vez que houve interação com a sociedade”, pontuou o assessor de Comunicação do TRT/MG, Samuel Almeida.

Iniciativas em redes sociais foram apresentadas aos DGs pela assessora Martha Gonzalez, do TRT da 17ª Região (ES), que usa a mídia social para abordar o público jovem com humor, linguagem informal e elementos do mundo virtual. Gonzalez mostrou os vários casos bem-sucedidos do Regional, mas também a forma com que os erros serviram para aprimorar a Comunicação. “No Facebook, precisamos de agilidade. Não dá para aprovar com a presidência cada post. Assim, o apoio da Administração do TRT/ES foi e continua sendo fundamental”, destacou. O Diretor-Geral do TRT/GO, Ricardo Lucena, elogiou o trabalho. “Leve os parabéns dos Diretores-Gerais à sua equipe pelo excelente desempenho”, disse.

Por fim, o Conselho Superior da Justiça do Trabalho pontuou como a forma de fazer campanhas institucionais mudou. “A crise orçamentária também chegou às Assessorias de Comunicação Social. Os trabalhos de produção de vídeos para as semanas temáticas contratados externamente agora são feitos internamente”, destacou Gabriel Reis no que se refere às semanas da Conciliação e da Execução Trabalhista. Aproveitou-se os gestores reunidos para verificar a recepção sobre uma logo única da Justiça do Trabalho, como já existe nas Justiças Eleitoral e Federal, bem como diretrizes comuns para os sites dos Regionais.

O Diretor-Geral do TRT/GO, Ricardo Lucena, lembrou a dificuldade de conseguir acessar os nomes dos magistrados da 1ª instância quando ocupou o cargo de secretário-geral do CSJT. “O que parecia uma tarefa simples, solicitada pelo então presidente, mostrou-se bem mais complicada por não haver uma padronização”, completou. Os DGs se comprometeram a conversar com os presidentes sobre os pontos positivos e negativos de se ter uma logo única e voltar a esse ponto na reunião dos DGs de novembro.

 

Texto: Gabriel Reis.

Veja mais fotos no Flickr do Coleprecor.

 

Coleprecor conhece projeto de otimização do TRT do Paraná

4. projeto otimização - 20171026_100729

A servidora da Gestão Estratégica do TRT do Paraná Paula Macedo Machado apresentou ao Coleprecor, na manhã desta quinta-feira (26/10), o vídeo “Panorama Orçamentário e de Pessoal do TRT9” para iniciar sua fala acerca das fases de desenvolvimento do Projeto “Otimização do Orçamento e da Força de Trabalho”, do qual é gerente. O vídeo inicial é um apanhado sobre o déficit de recursos humanos provocado pelos cortes orçamentários da Justiça do Trabalho e sobre as perspectivas do Regional para os anos vindouros.

Em seguida, Paula Machado apresentou os aspectos iniciais da criação do projeto, esclarecendo que o objetivo principal deste  é repensar as formas de trabalho e encontrar alternativas para que o TRT9 consiga manter a qualidade da entrega jurisdicional, considerando, além da escassez de recursos e carência de pessoal, o crescimento natural da demanda. Outros aspectos como estratégia para captação de sugestões de melhorias, comunicação audiovisual, capacitação em mapeamento de processos para servidores de diversas áreas, consultas abertas a magistrados e servidores conforme suas áreas de atuação, avaliação das sugestões coletadas, processo de implementação das ações (e-Carta, citações, intimações e notificações para entes públicos, inventário patrimonial e conversão de documentos em PDF) e as que serão implementadas futuramente, tais como a revisão de mão-de-obra terceirizada, a normatização e estruturação das áreas para permitir o trabalho remoto, inserção de AR Digital dentro do PJe, digitalização de processos físicos e central única de varas que concentre as atividades comuns às VTs, dentre outras.

Segundo a servidora, a revisão das rotinas de trabalho e dos gastos institucionais compõem a principal lição aprendida com o projeto. Ela finalizou a apresentação nominando os magistrados e servidores que compõem a equipe do projeto, com suas respectivas atribuições.

O presidente o TRT9, desembargador Arnor Lima Neto, disse que o projeto revela a preocupação do Tribunal com a qualidade dos serviços que presta e da posição que ocupa no cenário nacional, despertando um sentimento de pertencimento e enfrentamento do cotidiano, composto de muitas peças num  mosaico a ser ajustado. Finalizou, agradecendo o empenho de toda a equipe que participa do projeto, destacando a companhia e o esforço na dedicação às tarefas.

 

Texto e foto: Rosemary Araujo (ASCOM TRT16-MA).

Veja mais fotos no Flickr do Coleprecor.

 

Coleprecor no Flickr