coleprecor

Início » Não indexados » TRT5 faz apontamentos sobre necessidade de aperfeiçoamento do PJe com relação às ações coletivas

TRT5 faz apontamentos sobre necessidade de aperfeiçoamento do PJe com relação às ações coletivas

IMG_5648O Colégio de Presidentes e Corregedores dos Tribunais dos Tribunais Regionais do Trabalho (Coleprecor) aprovou, na quinta-feira  (14/4), que seja feito um estudo para as ações coletivas terem um peso diferenciado no sistema de processo eletrônico, o PJe-JT, de modo a dar maior celeridade a esse tipo de classe processual. A proposição foi feita pela presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região (TRT5), desembargadora Maria Adna Aguiar.

Com a deliberação do Coleprecor, as áreas de gestão estratégica e de tecnologia dos diversos Regionais realizarão uma pesquisa conjunta a fim de definirem qual o peso a ser conferido para as ações coletivas, levando em conta a complexidade bem maior delas no comparativo com as individuais. O Colegiado decidiu ainda que, depois de concluído o levantamento, o assunto será submetido à apreciação da Corregedoria-Geral da Justiça do Trabalho.

IMG_5650A pedido da presidente do TRT5, o diretor da Secretaria de Gestão Estratégica do Regional baiano, Márcio Fernando Ribeiro (foto), fez uma exposição de motivos para os integrantes do Colegiado. Ele destacou que “incentivar o julgamento de ações coletivas é uma medida urgente para o fortalecimento das diretrizes estratégicas que foram aprovadas nos últimos três anos para o judiciário trabalhista”.

O processamento mais célere de ações coletivas, analisou Márcio Ribeiro, “é a melhor maneira de se preservar os interesses da sociedade e evitar um número infindável de ações individuais repetitivas que congestionam a Justiça do Trabalho”. Portanto, reforçou, “é fundamental um alinhamento do sistema judicial eletrônico com as metas definidas para desafogar o judiciário trabalhista”.

TRT18 apresenta software que otimiza uso do Bacenjud

Foi apresentado também um software desenvolvido pela Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicações do TRT 18ª Região, que possibilita a repetição de ação relativa ao bloqueio de crédito por meio do convênio Bacenjud. O desembargador Breno Medeiros, corregedor do TRT da 18ª Região, propôs  uma rediscussão do convênio Bacenjud com toda a Justiça do Trabalho.

Mercado Livre de Energia

A pedido do Presidente do TRT da 16ª Região e secretário-geral do Coleprecor, desembargador James Magno Araújo Farias, abriu-se espaço na pauta para a apresentação de dois especialistas na área de energia, Alexander Barbosa e Luis Guilherme Cruz, da empresa paulista Focus Energia. O assunto, pertinente em época de crise e contenção orçamentária, foi acerca do mercado livre de energia, contando, inclusive com a presença dos diretores Gerais dos TRTs. Em suma, os técnicos afirmaram que há, em média, cerca de 30% de economia nos custos de energia quando se opta por essa modalidade, com a possibilidade de negociar preços e prazos, não havendo necessidade de mudanças substanciais na estrutura dos Tribunais para migração ou contratação via mercado livre de energia.

Secom TRT5 (Valdicéa do Val) e Ana Claudia de Siqueira

Fotos: Ana Claudia de Siqueira

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: