coleprecor

Início » Não indexados » Posse de Dalazen confirmada para dia 2 de março

Posse de Dalazen confirmada para dia 2 de março

A cerimônia de posse da nova direção do TST está confirmada para o dia 2 de março. A posse, assegurada por liminar do ministro Dias Toffoli, do STF, ocupa espaço na imprensa desde a última sexta-feira.

PARA ACESSAR OS VEÍCULOS, CLIQUE SOBRE OS LINKS.

Estadão

Liminar autoriza posse de Dalazen na direção do TST

Folha de São Paulo

STF suspende decisão que impedia posse do presidente do TST

Gazeta do Povo

Liminar autoriza posse de Dalazen na direção do TST

Jornal de Londrina

Liminar autoriza posse de Dalazen na direção do TST

Veja

Posse de Dalazen garantida no TST

Isto É

Liminar autoriza posse de Dalazen na presidência do TST

Globo.com (Extra)

Dalazen consegue liminar garantindo posse na presidência do TST

iG

Liminar autoriza posse de Dalazen como presidente do TST

Isto É Dinheiro

Liminar autotiza posse de Dalazen na direção do TST

Jornal Brasil Online

Ministro do Supremo concede liminar para que presidente eleito do TST tome posse

Correio Braziliense
Ministro do TST garante posse da nova direção do TST

Portal Terra

STF suspende decisão que anulava posse de nova direção do TST

JusBrasil

STF suspende decisão que impedia posse do presidente do TST

Jus Brasil

Coordenador do Coleprecor conclama para posse de Dalazen

Laboratório Jurídico

Coordenador do Coleprecor conclama para posse de Dalazen

Consultor Jurídico

STF confirma posse da nova diretoria do TST

O Globo

Dalazen consegue liminar garantindo posse na presidência do TST

Correio do Estado

STF suspende decisão que impedia posse do presidente do TST

O Estado do Paraná

João Oreste Dalazen é confirmado na presidência do TST

O Estado do Paraná – Entrevista

Sou contra a flexibilização generalizada, diz Dalazen

Paraná Online

Liminar autoriza posse de Dalazen na direção do TST

Paraná Online – Direito e Justiça

STF concede liminar e ministro João Oreste Dalazen toma posse na presidência do TST

Paraná Online (capa)

STF concele liminar e minjstro João Oreste Dalazen toma posse na presidência do TST

Diário do Grande ABC

Liminar autoriza posse de Dalazen na direção do TST

O Fluminense

Minisro do Supremo concede liminar para que presidente eleito do TST tome posse

Portal do Maranhão

Ministro do Supremo concede liminar para que presidente eleito do TST tome posse

O Imparcial (Maranhão)

STF suspende decisão que impedia posse do presidente do TST

Correio de Santa Maria

Posse no TST confirmada

Aratu Online

Ministro do Supremo concede liminar para que presidente eleito do TST tome posse

Aqui Pernambuco

Ministro do Supremo concede liminar para que presidente eleito do TST tome posse

Diário de Canoas

Supremo concede liminar para que presidente eleito do TST tome pose

Território Eldorado

Liminar autoriza posse de Dalazen na direção do TST

Notícias Bolivianas

Dalazen consegue liminar garantindo posse na presidência do TST

Portal do Holanda

Posse da nova diretoria do TST vai acontecer em 2 de março

Fato Notório

Dias Toffoli concede liminar e garante posse do presidente eleito do TST

Fazenda News (Paraná)

Liminar autoriza posse de Dalazen na direção do TST

Direito 2

Ministro Dias Toffoli concede liminar a presidente eleito do TST

Mais Goiás

Ministro do Supremo concede liminar para que presidente eleito do TST tome posse

Veredictum

Ministro Dias Toffoli concede liminar a presidente eleito do TST

Jornal VS (São Leopoldo)

Supremo concede liminar para que presidente eleito do TST tome posse

ClickParaíba

STF suspende decisão que impedia posse do presidente do TST

Jornal Web Minas

Ministro concede liminar para que presidente eleito do TST tome posse

Diário da Região

Liminar autoriza posse de Dalazen na direção do TST

Jornal do Tocantins

Liminar autoriza posse de Dalazen na presidência do TST

Repórter Diário

Liminar autoriza posse de Dalazen na direção do TST

Araraquara

Liminar autoriza posse de Dalazen na direção do TST

Fábio Campana

João Oreste Dalazen na presidência do TST

Yahoo Notícias

Liminar garante Dalazen na presidência do TST

msn

Liminar autoriza posse de Dalazen na direção do TST

O PARANÁ – CASCAVEL

Primeiro paranaense a presidir TST tomará posse na quarta-feira*

Confirmação foi feita pelo ministro Antonio Dias Toffoli, do STF

 

  

 

Curitiba – O ministro Antonio Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal(STF), confirmou para a próxima quarta-feira (2), a posse do primeiro magistrado do Paraná a presidir um Tribunal Superior, em Brasília. Gaúcho de Getúlio Vargas, mas com toda a carreira construída no Paraná, o magistrado será empossado como presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST). A posse foi confirmada após Toffoli derrubar uma liminar do Conselho Nacional de Justiça que impedia que Dalazen assumisse o cargo por conta de uma contestação da Anamatra (Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho) ao processo eleitoral.

A posse da nova diretoria foi suspensa por uma decisão liminar do conselheiro Jorge Hélio Chaves, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Ele tomou a decisão com base em um pedido da Anamatra, que alegava haver ilegalidade no fato de Dalazen assumir a presidência do TST após passar quatro anos em cargos diretivos do Tribunal (corregedoria e vice-presidência), o que feria a Lei Orgânica da Magistratura.

Ao liberar a posse, o ministro Dias Toffoli afirma que houve problemas técnicos na tramitação do processo no CNJ e considerou a decisão de Chaves “ilegal, abusiva e efetivamente coatora”. Ele também afirmou que nenhum dos ministros do TST contestou administrativamente a eleição de Dalazen e que não caberia à Anamatra fazê-lo. Para ele, o TST “não deve passar pelo constrangimento de se submeter aos efeitos de uma decisão administrativa individual e precária com vícios originários de natureza formal”.

Melhor saída

O ministro Antonio Toffoli despachou, ainda, que é menos nocivo manter a posse e aguardar o desenrolar do processo “a ter de se criar toda a sorte de embaraços decorrentes da inusitada situação de um ato de posse com convites expedidos e aprestos administrativos implementados”.

Além dos equívocos apontados no processo, Toffoli concordou com o argumento de João Dalazen de que a Lei Orgânica impede que concorram a cargos diretivos magistrados que já tenham exercido quatro anos seguidos na direção do Tribunal. “E em dezembro do ano passado, eu estava, como estou hoje, vice-presidente do Tribunal, sem ainda ter concluído meus quatro anos”, explicou.

Quem é

João Oreste Dalazen nasceu em Getúlio Vargas (RS), em 12 de janeiro de 1953. Obteve graduação e pós-graduação em Direito, em nível de mestrado, pela Universidade Federal do Paraná. Atua como magistrado do Trabalho desde 1980 e ministro do TST desde 1996. Atualmente é professor da Faculdade de Direito da UnB.

Dalazen diz que sua eleição para presidir o TST deve servir de exemplo para a população paranaense. “O Paraná foi o Estado que me projetou, foi onde cresci pessoalmente e profissionalmente. Quero sim representar bem o Estado nesse novo cargo, mas quero, também, servir de motivador para a população do Paraná, pois venho de família pobre, como a maioria, e fui engraxate, garçom, mas com empenho e determinação, cheguei ao TST”, disse.

Algodão entre cristais

O ministro João Oreste Dalazen classificou a Justiça do Trabalho como “o algodão entre os cristais” no conflito entre o capital e o trabalho. “Conflitos naturais numa sociedade capitalista, mas que mediamos com equilíbrio e ponderação”. Dalazen avaliou que a Justiça do Trabalho vem presando excelente serviço nestes 70 anos de existência no Brasil. “Se não fosse a Justiça do Trabalho, haveria derramamento de sangue nesse conflito”. Questionado sobre as propostas de flexibilização nas leis trabalhistas que vêm sendo debatidas no Executivo e Legislativo, o novo presidente do TST mostrou-se preocupado. “Essa flexibilização já se observa em várias situações. O Brasil é um dos poucos países em que não precisa de motivo para demitir, por exemplo.

Há flexibilização nas jornadas de trabalho, nos acordos coletivos”, disse. “Mas sou contra essa flexibilização generalizada, que faz com que o negociado prevaleça sobre o legislado”, concluiu.

(* Nota da assessoria: Antes do ministro João Oreste Dalazen, outro magistrado que fez carreira no Paraná, Guimarães Falcão, presidiu o TST)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: